|  
Últimas Notícias:
+ Remota I/O - PROFIBUS-PA e Indicador Remoto PROFIBUS-PA
+ Acoplador PROFINET / PROFIBUS PA
+ Módulos LioN-P e Conector BRSCIS-4D-9
+ Conecte um PC a qualquer rede Ethernet Industrial com Ixxat Inpact
+ Série Indústria 4.0
+ Certificação Profibus-DP - Atuadores Elétricos da Coester
+ Treinamento com foco em necessidades específicas - base para o sucesso de implantação e manutenção de redes de dados em chão de fábrica
+ PROFINET on The Road na Petrobras
+ Seminário On Site na Cutrale
+ PI Brasil marca presença em evento da ISA Campinas
+ Grupo Zilor recebe PROFINET on The Road
+ NOTA DE FALECIMENTO
+ Multipoint Temperature & I/O Transmitter VTT10-MP Vivace
+ Conversor PROFIBUS-PA para Saída Analógica ou Discreta VPO10 Vivace
+ Advanced Bus Protector VBP10 Vivace
+ Conversor Analógico para PROFIBUS-PA VAP 10 Vivace
+ TS Conector PROFIBUS DP - Toledo & Souza Engenharia
+ Indicador Digital Multi-Ponto DMY-2015-PB Energy PROFIBUS
+ Já pensou em conectar 8 pontos de temperatura em apenas um nó PROFIBUS PA?
+ MGate 5102-PBM-PN

AS-i, Profibus DP/PA, Profinet e Safety Bus: Associação Profibus fortalece tecnologias com novas diretorias.

Há 16 anos a Associação Profibus Brasil América Latina vem cumprindo o seu principal objetivo de disseminar informações sobre os padrões Profibus e Profinet, além de possibilitar a integração e a cooperação entre as empresas que utilizam esses protocolos. No sentido de intensificar suas ações de divulgação das tecnologias, a Associação criou quatro diretorias específicas, responsáveis pela multiplicação dos seus conceitos e difusão dos seus benefícios.

Conheça, a seguir, as novas pastas e seus respectivos Diretores. 

Diretoria de AS-i – Concebida, planejada e financiada por um consórcio de 11 empresas, a rede AS-i começou a ser desenvolvida em 1990. Em 1993 o projeto foi concluído e em 1994 a rede AS-i foi introduzida no mercado. “Nos dias de hoje, a rede AS-i é um protocolo aberto e possui uma associação que conta com mais de 350 membros certificados ao redor do mundo”, conta Bruno Lupetti, Engenheiro de Controle e Automação da Pepperl+Fuchs Brasil, e Diretor da Tecnologia AS-Interface da Associação.

Lupetti explica que, atualmente em sua versão 3.0, a rede AS-i disponibiliza 248 pontos de entradas digitais e 248 pontos de saídas digitais, totalizando 496 pontos de I/O em uma única rede, comunicando pelo característico cabo chato emborrachado (conector “vampiro”). Sinais analógicos de entrada e de saída também podem ser integrados na rede AS-i, ampliando aplicações em diversos setores da indústria para este tipo de tecnologia. Ele acrescenta que valores aproximados apontam mais de 30 milhões de nós instalados mundialmente e mais de cinco milhões de nós safety integrados ao conceito AS-Interface Safety at Work.

Enfatizar a divulgação dos conceitos e dos benefícios que a tecnologia pode trazer, bem como apresentar aplicações bem sucedidas mundialmente, são os pontos prioritários da Diretoria de AS-i. “Além disso, garantir que a tecnologia AS-i não seja vista como uma rede industrial concorrente das demais (Profibus, Profinet, etc.), mas sim como uma forma de ampliar a capacidade dos protocolos existentes, viabilizando a utilização de redes industriais para clientes de todos os portes e indústrias, por meio dos ganhos monetários: redução no cabeamento convencional e, consequentemente, na infraestrutura; menor número de horas desprendidas para realizar a instalação; diminuição do hardware (cartões I/O); possibilidade de integração de sinais convencionais e safety na mesma infraestrutura de cabeamento; informações de diagnóstico e prevenção de falhas que este tipo de tecnologia oferece; podendo concluir que o custo efetivo final do projeto de automação apresentará maior viabilidade econômica do que se a solução adotada fosse a convencional (ponto-a-ponto), uma vez que, com esses benefícios o tempo de comissionamento e o start-up se darão de forma mais eficaz”, conclui Lupetti.
 


Bruno Lupetti: Diretoria de AS-i.

 
Diretoria de Safety Bus – Márcio Venturelli, Gerente de Novos Negócios e Tecnologia da DLG Automação Industrial, é o Diretor de Safety Bus.

Segundo ele, a segurança operacional dos sistemas de automação era tratada no passado como sistemas separados, à parte do controle. “Com a evolução das tecnologias de rede, tais como: Profibus, AS-i Bus e Profinet, houve uma convergência do controle com a segurança. Com essas redes de segurança, Safety Bus, podemos aplicar os conceitos de segurança operacional de forma transparente, usando uma mesma rede para as mesmas funções descritas”, explica.

Nesse sentido, a segurança de operadores, bem como a segurança de processos é prioridade hoje em projetos, seja por força de legislação ou de risco ambiental, ou até mesmo econômicos de toda ordem. “As redes Safety Bus permitiram atender a essa demanda, que é cada vez mais crescente, mas exige viabilidade na relação de segurança x custo. Essas redes são de investimentos menores do que sistemas específicos de segurança, tornando comuns o uso de protocolos de segurança PROFIsafe e AS-i Safe nas soluções que permitem a convergência do controle e segurança”, detalha Venturelli.
O Diretor destaca que o foco da Diretoria de Safety Bus é mostrar que o protocolo Profibus, AS-i Bus e Profinet são totalmente aderentes às soluções de segurança, permitindo o uso de controle juntamente com a segurança dos sistemas. Vale lembrar que a Associação Profibus promove conhecimentos gerais sobre o uso dos protocolos, com o perfil Safe, desde os conceitos de funcionamento, aplicações em geral, até a especificação de soluções para máquinas e processos, isso na forma de workshops, palestras, manuais e guias.

“O apelo da segurança em máquinas e processos é cada vez mais exigido, visto que a dinâmica da produção cresceu de forma exponencial ao longo dos anos, criando riscos que antes não existiam. A tecnologia evoluiu e hoje permite mitigar situações de riscos, implantar sistemas seguros com uma relação custo x benefício sem precedentes, fazendo com que as soluções em Profibus, AS-i Bus e Profinet sejam ótimas opções de mercado”, conclui Venturelli. 
 
 


Márcio Venturelli: Diretoria de Safety Bus.

 
Diretoria de Profibus DP/PA – O protocolo Profibus está em constante evolução, teve surgimento com a junção de algumas empresas e universidades para desenvolvimento de um protocolo de comunicação.

“O Profibus FMS, que possuía um nível bem complexo de integração e que foi finalizado em 1989, pois já exista uma demanda de uma facilidade de integração e, subsequentemente, em 1993, teve o surgimento do Profibus DP que é a solução high-speed do protocolo Profibus, que tem como foco a comunicação entre sistemas de automação e equipamentos descentralizados, onde podemos destacar o acesso de I/Os distribuídos. O Profibus PA é utilizado para automação de processo na comunicação dos instrumentos de campo, podendo ser utilizado também em áreas classificadas e possuindo a alimentação necessária para o instrumento no mesmo par de fios de comunicação com sistema de controle. Hoje quando falamos de comunicação Profibus, também nos lembramos da comunicação baseada no meio Ethernet, onde podemos citar o Profinet, que é uma das evoluções que o protocolo tem sofrido com tempo para se adaptar com as demandas do mercado”, ensina Fabrício Andrade, Gerente de produto responsável por vazão e soluções na Endress+Hauser, e Diretor de Profibus DP/PA da Associação.

O Diretor lembra que, atualmente, a rede Profibus é líder em aplicações no mundo. Em um levantamento apresentado pela Profibus International, o protocolo registrava mais de 50,9 milhões de instrumentos instalados até o final de 2014, sendo que nove milhões desses instrumentos estão em processos industriais. “Isso se deve por todas as facilidades que o protocolo oferece, como também ao grande trabalho realizado pela associação ao redor do mundo com o objetivo de promover o conhecimento para os usuários da tecnologia”, enfatiza Andrade.
 
 


Evolução da utilização da rede Profibus no mundo.

 
A sua principal ação na Diretoria está focada nos benefícios da tecnologia. “Hoje acredito que é de conhecimento de todos como a rede funciona e quais as diferenças do Profibus DP para o PA, mas nem sempre os benefícios das aplicações estão claros para o usuário, como também existem usuários do protocolo que não estão utilizando 100% dos benefícios propostos, e acabam não visualizando as vantagens de se utilizar uma rede Profibus DP/PA. Tendo isso como base, trabalharei na atualização dos conteúdos das palestras, visando destacar os benefícios do dia a dia na linguagem adequada para cada posição, pois as necessidades de um técnico ou engenheiro de campo são diferentes dos gerentes da planta. Além disso, vou começar um trabalho junto dos usuários para criar um guia de aplicação da tecnologia em diferentes segmentos e, dessa forma, criar um material que possa ser guia para outros futuros usuários da tecnologia, que irão se basear em referências reais em seus segmentos”, pontua Andrade.

 


Fabrício Andrade: Diretoria de Profibus DP/PA.

 
Diretoria de Profinet – Consultor técnico para tecnologias de Factory Automation na Siemens do Brasil, Márcio Roberto dos Santos assumiu a Diretoria de Profinet.

Ele lembra que desde o seu anúncio na conferência de impressa da Associação Profibus International (PI) em agosto de 2000 até os dias atuais, o protocolo Profinet teve uma aceitação massiva no mercado industrial e uma rápida evolução tecnológica, fato esse facilmente comprovado através dos 10 milhões de dispositivos Profinet atualmente em uso em plantas e fábricas ao redor do mundo. E esse número não para de crescer!

“A vasta experiência da PI com o protocolo Profibus ao longo de 20 anos tornou possível o desenvolvimento de um protocolo de comunicação industrial aberto, rápido, confiável e flexível, ao mesmo tempo em que utiliza novos meios de comunicação e tecnologias baseados em redes Ethernet. Sendo totalmente compatível com as redes Ethernet, o protocolo Profinet proporcionou ao mercado industrial possibilidades tecnológicas inimagináveis se comparado às soluções tradicionais baseadas em redes seriais”, justifica Santos.

Ele acrescenta que, atualmente na versão 2.3, o protocolo Profinet é utilizando em diversos tipos de soluções, desde a simples troca de sinais de campo, passando por redes sem fio de longas distâncias, controle de sincronismo de eixos em máquinas de alta velocidade, sistemas de segurança pessoal e ambiental, assim como em plantas de processos industriais com altos requerimentos de disponibilidade e segurança.

“Sendo um protocolo de comunicação industrial desenvolvido para acompanhar o processo evolutivo das redes Ethernet, o Profinet está apto a se adaptar e ser utilizado com as novas tecnologias de rede, como por exemplo, a Internet das Coisas (Internet of Things –  IoT) e servir como base para os novos processos produtivos baseados em Industry 4.0.”, enfatiza.

O Diretor detalha que estudos mercadológicos recentes apontam que o protocolo Profinet detém cerca de 30% do mercado de redes industriais baseadas no padrão Ethernet, colocando o Profinet como líder no segmento de redes de comunicação industrial deste tipo. “Considerando ainda os 50 milhões de dispositivos em uso sob o padrão Profibus e que a migração tecnológica destes dispositivos, quando necessária, é plenamente possível e prevista nas especificações do Profinet, chega-se a conclusão de que a fatia de mercado do Profinet continuará a crescer de forma exponencial”, prevê.

Santos está dirigindo a sua área na Associação em duas linhas de atuação. A primeira por meio da divulgação e do incentivo do uso do Profinet para segmentos que estudam a migração das redes seriais para redes padrão Ethernet. Isto através de workshops dedicados ao protocolo Profinet onde será apresentado de forma teórica e prática o modo de funcionamento do Profinet e seus reais benefícios e, também, pelo suporte aos grupos de trabalho da PI nas indústrias de processo e infraestrutura críticas (setor sucroalcooleiro, saneamento e geração de energia, por exemplo). Na versão atual, 2.3, o Profinet já possui especificações claras e direcionas a estes segmentos de mercado e os produtos de diversos fabricantes já estão sendo lançados no mercado. A segunda vertente é a divulgação e o incentivo de uso do Profinet para segmentos que já o utilizam de forma maciça, ou seja, desenvolvimento de máquinas modulares para fabricantes de máquinas seriais; integração das redes Profinet com os ambientes corporativos das empresas; segurança de redes Profinet através do uso de padrões e normas internacionais; e integração de redes Profinet e demais redes de controle baseadas em Ethernet, como OPC-UA e IEC61850, por exemplo.

“A migração das redes seriais para o padrão Ethernet é um caminho sem volta. As demandas globais de consumo clamam por processos produtivos ágeis, flexíveis e de alta disponibilidade. Os novos processos produtivos baseados em Industry 4.0 e a Internet das Coisas elevarão ao máximo a necessidade por redes de comunicação industriais capazes de suportar as necessidades das demandas globais. Neste sentido o protocolo Profinet foi desenvolvido e continua o seu processo de desenvolvimento de forma a superar as necessidades de comunicação e integração dos processos produtivos”, finaliza Santos.

 


Márcio Roberto dos Santos: Diretoria de Profinet.