|  

Gestão de Ativos em Profibus – uma visão prática para a manutenção.

MHVenturelli2.jpg

Márcio Venturelli (venturelli@fertron.com.br), Analista de Sistemas de TIA (Tecnologia da Informação de Automação) da Fertron Controle e Automação Industrial Ltda.
 

Muito se fala sobre gestão de ativos em plantas de processos industriais, o que é importante entender é que qualquer forma de obter informação on-line de instrumentos e/ou equipamentos para análise e diagnóstico é um GA.

Quanto ao GA em Profibus é importante entender alguns conceitos muito importantes:  Primeiro os instrumentos e equipamentos devem suportar acesso acíclico de informações, deve-se observar as versões, DPV0 não suporta este tipo de acesso, somente as versões DPV1 e acima conseguem comunicar neste nível, por exemplo, se você tiver um transmissor de vazão em DPV0 você não consegue via rede Profibus acessar as informações em forma acíclica para gestão da informação.

 

Quanto à ferramenta de GA, deve-se definir o padrão, por exemplo, FDT/DTM, o FDT é a ferramenta propriamente dita o software que é instalado numa máquina PC de engenharia, é nela que se instalam as DTM que na prática são os drives dos equipamentos de campo, confira a versão.

 

 

Pois bem, agora você já se tem as versões e a ferramenta, agora se deve saber se a CPU que se comunica com o nível de informação ou o cartão de rede, normalmente Ethernet no nível de informação suporta roteamento, isto é, se é possível acessar o nível de sensor no nível de informação.

 

O roteamento é a capacidade de comunicação de transição de barramento, por exemplo, posso entrar no nível de informação Ethernet, acessar o cartão de rede, ser roteado e conectar-me no nível Profibus de forma acíclica, lendo ou escrevendo no instrumento, podendo mudar parâmetros, ler dados e acumular num sistema PIMs, por exemplo, e analisar numa FDT, mostrando a desempenho do meu equipamento.

 

Pronto, agora com todas essas considerações pode-se fazer um projeto de automação que contenha um GA bem projetado e funcional, lembre-se que normalmente essas plataformas nascem apenas comunicando-se para analisar e modificar parâmetros de instrumentos, depois acumulando dados e após analisando desempenho.

 

Escolha bem o projeto com um consultor de redes industriais de GA e tenha todas as garantias de retorno de investimento num sistema dessa natureza, que além de tudo é uma tendência em sistemas Profibus.



Outros Artigos Técnicos

 

» FIBRA ÓTICA E PROFIBUS: A UNIÃO SEM RUÍDOS

» RoboChap - Robo de Chapisco em Moenda - ProfiNet Wireless

» PROFINET The Backbone for Industrie

» IO-LINK

» Algumas dicas de soluções de problemas no PROFIBUS-DP

» Conecte o LabVIEW a qualquer rede industrial e CLP

» Procedimento de atualização de hardware para acesso a dados HART em remotas PROFIBUS

» EDDL - Electronic Device Description Language & FDT/DTM – Field Device Tool/ Device TypeManagement & FDI - Field Device Integration

» O uso de entradas e saídas remotas em Profibus-PA facilitando a automação de processos em sistemas de controle

» Dimensionamento da quantidade de equipamentos em uma rede PROFIBUS-PA

» Soluções National Instruments para barramentos industriais

» PROFIBUS – Fique por dentro do DPV2 na prática

» Raio de Curvatura Mínima e Instalações PROFIBUS

» Gerenciamento de Ativos e Autodiagnose

» DC303 - Entradas e Saídas Discretas em sistemas Profibus com controle híbridos e aplicações de bateladas.

» LMP-100 – Solução eficiente para conexão de redes Modbus e Profibus.

» O Profinet na Automação de Processos

» O que é PROFIBUS

» PROFIBUS Integration in PROFINET IO

» Sensor Hall – A tecnologia dos Posicionadores Inteligentes de última geração

» FISCO: Fieldbus Intrinsically Safe Concept

» Implementação de Device Type Manager para posicionador inteligente Profibus PA

» Aterramento, Blindagem, Ruídos e dicas de instalação

» EMI – Interferência Eletromagnética

» Profibus-PA: byte de status e Fail-Safe

» PROFIsafe – o perfil de segurança PROFIBUS

» Conexão a quente de redes Profibus-DP em atmosferas explosivas.

» MEDIÇÃO DE VAZÃO

» A medição de pressão e um pouco de história

» NI LABVIEW COMO SCADA E HMI

» Automação baseada em componentes para indústria de alimentos e bebidas

» Interferência Eletromagnética e Instalações PROFIBUS

» Introdução ao PST - Partial Stroke Test - Teste de Curso Parcial

» Gestão de Ativos em Profibus – uma visão prática para a manutenção.

» Uma visão de Profibus, desde a instalação até a configuração básica – Parte 6

» Diretrizes para Projeto e Instalação de Redes PROFIBUS DP

» Uma visão de Profibus, desde a instalação até a configuração básica – Parte 5

» Métodos para diagnóstico em redes Profibus DP

» Uma visão de Profibus, desde a instalação até a configuração básica – Parte 4

» Uma visão de Profibus, desde a instalação até a configuração básica – Parte 3

» Uma visão de Profibus, desde a instalação até a configuração básica – Parte 2

» Protetor de transientes em redes Profibus

» Uma visão do protocolo industrial Profinet e suas aplicações

» Métodos para Diagnóstico de Falhas em Redes PROFIBUS DP

» Uma visão de Profibus, desde a instalação até a configuração básica – Parte 1

» Uso de repetidores em Profibus-DP

» PROTOCOLO AS-I: AGREGANDO INTELIGÊNCIA A SENSORES E ATUADORES

» A IMPORTÂNCIA DOS TERMINADORES DE BARRAMENTO NA REDE PROFIBUS

» GATEWAY ANYBUS-X

» EVOLUÇÃO DA MEDIÇÃO DA TEMPERATURA E DETALHES DE UM TRANSMISSOR DE TEMPERATURA PROFIBUS-PA

» Profibus-PA: Especificações para o Modelo de Blocos

» Versões do PROFIBUS-DP

» Profibus-PA: Byte de Status e Fail-Safe .

» Profibus: Por dentro da mudança de endereços das estações – Change Station Address .

» Profibus: Tempo de Barramento.

» Profibus: por dentro dos Indentifier Formats.

» Dicas de dimensionamento e instalação em redes Profibus PA

» DT303: transmissor de densidade com tecnologia Profibus-PA

» Instalações em Profibus-DP: técnicas & dicas.

» Implementação de Device Type Manager para posicionador inteligente Profibus PA

» WIKA: Especificação de Transmissores de Pressão

» WIKA: Medição de nível em tanques pela pressão diferencial.

» Medição da Temperatura

» WIKA: Medição de Temperatura. Termopares: Custo e Benefício

» WTECH: MÉTODOS PARA DIAGNÓSTICO EM REDES PROFIBUS DP

» NI LabVIEW como SCADA e HMI

» AS-Interface Integration in PROFINET IO